O seu hotel em Coimbra, localizado no coração da Baixa

Lugares mais instagramáveis de Coimbra

 

A cidade de Coimbra é uma das cidades portuguesas mais emblemáticas e destaca-se pelas suas paisagens sobre o Rio Mondego, a sua vista para a Universidade de Coimbra e os seus monumentos.

Neste artigo escolhemos alguns dos locais mais instagramáveis de Coimbra, onde pode usufruir da sua beleza, tirar uma fotografia incrível e partilhar com a sua comunidade.

Ponte de Santa Clara

A Ponte de Santa Clara é uma passagem obrigatória quando visita a cidade de Coimbra. A sua construção foi iniciada em 1951 e inaugurada em 1954 . Esta ponte liga as duas margens do Rio Mondego, entre o centro histórico e a restante cidade. É um dos principais pontos de passagem, tanto de carro como a pé. Esta ponte além de ser um dos mais importantes acessos de Coimbra tem uma vista panorâmica para o centro Histórico da cidade e para o Rio Mondego.

Arco e Torre de Almedina

O Arco e a Torre de Almedina são um dos locais mais marcantes da cidade de Coimbra e remontam ao século XI. A  Torre de Almedina está edificada sobre o Arco de Almedina, esta Torre servia para vigiar o principal acesso à cidade muralhada. O Arco de Almedina era a principal porta para as muralhas de Coimbra. Este Arco tem origem Romana, mas apresenta características muçulmana, românica, gótica e manuelina.

Jardim da Quinta das Lágrimas

O Jardim da Quinta das Lágrimas conta a história trágica entre Dom Pedro e Dona Inês de Castro. Dom Pedro apaixonou-se perdidamente por Dona Inês, uma das aias da sua esposa Dona Constança. Os dois apaixonados encontravam-se secretamente nestes jardins. Esta relação era reprovada e condenada pela corte e pelo povo e em 1355 Dona Inês de Castro foi morta a mando do rei D. Afonso IV, pai de Dom Pedro. Reza a lenda que no local onde Inês foi morta brotou uma fonte, ao qual foi chamada Fonte das Lágrimas, que nasceu das suas lágrimas. As algas avermelhadas que ainda hoje ali se encontram terão tido origem no sangue derramado por Dona Inês quando foi assassinada.

Além desta história trágica entre Pedro e Inês, o Jardim da Quinta das Lágrimas tem imensas espécies vegetais e é constituído por uma mata.

Jardim Botânico

O Jardim Botânico foi criado em 1722 por Marquês de Pombal. O espaço tem cerca de 13 hectares em terrenos que na sua maioria foram doados pelos frades Beneditinos. Este jardim é composto por uma rica flora e fauna, como espécies de pássaros e esquilos castanhos.

O Jardim Botânico acolhe turistas e locais durante todo o ano, na verdade todos aqueles que queiram fazer parte desta experiência. Neste espaço também é possível encontrar atividades para miúdos e graúdos, com programas o ano inteiro.

Igreja de Santa Cruz | Panteão Nacional

A Igreja Santa Cruz  | Panteão Nacional  está situada no Centro Histórico de Coimbra foi fundada em 1131 com o patrocínio de D. Afonso Henriques. Era a sede nacional dos Cónegos Regrantes de Santo Agostinho, que foi uma das principais casas religiosas portuguesas. No Mosteiro de Santa Cruz estão sepultados os dois primeiros reis de Portugal, D. Afonso Henriques e D. Sancho I. Para D. Afonso Henriques Coimbra era a cidade mais importante do país, o rei governou Portugal durante 57 anos a partir de Coimbra.

Café Santa Cruz

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Márcio (@portugal_uncorked)

O Café Santa Cruz está localizado no centro Histórico de Coimbra, mesmo ao lado da Igreja de Santa Cruz. Encontra-se aberto ao público desde 1923, funcionando originalmente como uma igreja, é um dos cafés mais antigos da cidade e até do país.

Este espaço é um marco para a história de Coimbra e é um dos locais de visita obrigatória. Além de que é a casa do Crúzio, um doce tradicional de Coimbra, que nos ajuda a recordar a nossa história e a tornou-se um marco gastronómico da cidade. Este doce foi feito para homenagear o Café Santa Cruz,  a Igreja de Santa cruz e o Mosteiro de Santa Cruz.

Sé Velha de Coimbra

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Lena • Porto (@lena_khrupina)

A Sé Velha de Coimbra, data da segunda metade do século XII. Esta Catedral tem uma mistura de estilos, com influência românica,  islâmica, renascentista e gótico no interior. A partir de Junho de 2013 a Sé Velha de Coimbra tornou-se Património Mundial da Unesco. Mesmo em frente à Sé encontra-se a habitação onde viveu Zeca Afonso, um elemento de grande importância no 25 de Abril de 1974.

Atualmente a Sé Velha de Coimbra é palco das tradições académicas da cidade, onde todos os anos é possível assistir à Serenata Monumental. Para muitos é o início do percurso académico, onde vestem pela primeira vez o traje académico, para outros é o fim deste percurso.

Sé Nova de Coimbra

A Sé Nova de Coimbra ,antigo Colégio dos Jesuítas estabeleceu-se, em 1542 pela companhia de Jesus. A Construção durou cerca de um século e abriu ao culto em 1640. Por aqui passaram vários evangelizadores, como é o caso de Padre António Vieira. A Sé Nova destaca-se pelo seu estilo maneirista e barroco.

A Sé Nova é palco das tradições académicas de Coimbra, a Benção das Pastas quando os estudantes acabam o seu percurso na Universidade de Coimbra e a Queima do Grelo.

Paço das Escolas

O Paço das Escolas é onde se encontram muitos dos monumentos que fazem parte do núcleo da Universidade de Coimbra, bem como parte da área que é considerada Património Mundial pela UNESCO.

É no Paço das Escolas que se encontra Sala dos Capelos, as salas do Exame Privado e das Armas, a Biblioteca Joanina, a Prisão Académica e a capela de São Miguel, bem como a Torre da Universidade (Cabra), Porta Férrea e ainda a Via Latina.

Parque Dr. Manuel Braga

O Parque Dr. Manuel Braga pertencia inicialmente aos monges beneditinos e era localizado ao nível das águas do Rio Mondego. Em 1888 a Câmara Municipal comprou o espaço e em 1920 passou a ser um jardim aberto ao público. O nome deste parque foi escolhido para homenagear o Dr. Manuel Braga, personalidade que se destacou por ser o impulsionador na valorização e na criação de espaços verdes na cidade.

Neste parque encontra vários monumentos de homenagem, como é o caso de Antero de Quental (escritor), Florbela Espanca (poetisa), António Arnaut, pelo seu importante papel no Serviço Nacional de Saúde, Manuel Alegre (poeta), e como não poderia faltar Manuel Braga. Aqui também pode visitar o Museu da Água dentro do próprio parque e deslumbrar-se com maravilhoso Coreto inaugurado em 1904.

 

Museu Nacional Machado de Castro

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Laura Deus (@laura.deus)

O Museu Nacional Machado de Castro está integrado no Património Mundial da Unesco  e é um dos locais emblemáticos de Coimbra. O que hoje em dia é um Museu aberto ao público já teve as mais variadas funções, centro administrativo, político e religioso, desde o século XI foi templo cristão, paço episcopal a partir da segunda metade do século XII. Só no ano de 1911 é que foi considerado Museu.

O Museu é composto por uma série impressionante de coleções, escultura, metais preciosos, cerâmica, têxteis, mobiliário entre outros. No subsolo do Museu pode ainda visitar o Criptopórtico Romano, um conjunto de galerias da qual faziam parte uma praça ou fórum da antiga cidade Aeminium.

Terraço Hotel Oslo

O Hotel Oslo Coimbra  está localizado mesmo no coração de Coimbra. Destaca-se por estar na zona protegida da UNESCO perto de toda a zona histórica da cidade. É conhecido por ser um hotel familiar e local, pela simpatia dos seus funcionários, pelos seus quartos confortáveis e pela maravilhosa vista sobre a cidade de Coimbra.

Seja hóspede ou esteja apenas de passagem, pode visitar o Terraço do Hotel Oslo Coimbra, um segredo bem guardado mesmo no centro da cidade. Suba até ao sexto andar e deixe-se deslumbrar pela vista incrível sobre a zona histórica de Coimbra, aproveite e tome um refresco, um local perfeito para desfrutar de uma tarde de Verão.

Museu dos Transportes

A história dos transportes de Coimbra começou em 1873 e o Museu dos Transportes conta a sua história.

Este Museu tem lugar na Rua da Alegria, num edifício de 1909 e com claras características industriais. Este espaço foi inaugurado em 1982, depois dos carros elétricos deixarem de existir em Coimbra. Neste Museu pode encontrar uma grande variedade de transportes usados na cidade de Coimbra desde o século XIX. Desde o carro americano – Horsecar (puxado por cavalos), os famosos elétricos, os tróleis e os autocarros, dos mais antigos, aos mais recentes.

Jardim da Manga

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Rosa_cabadas (@rosa_cabadas)

O Jardim da Manga foi mandado contruir por D. João III em 1533 e é uma das primeiras obras renascentistas feitas em Portugal. Aqui estão presentes os pilares da religião cristã,  lembrando a fonte da vida, de onde estão presentes os quatro rios para os quatro pontos cardeais. Foi classificado como Monumento Nacional em 1934.

Neste espaço do Jardim, pode também encontrar um restaurante – Restaurante Jardim da Manga, com pratos tipicamente portugueses.

Biblioteca Joanina

A Biblioteca Joanina está situada no Paço das Escolas e foi classificada em 2013 como Património Mundial da UNESCO.

O início da sua construção data o ano de 1727, tendo sido concluída em 1728,  sob o patrocínio de D. João V, adotando esta designação em homenagem ao seu patrono. A Biblioteca Joanina destaca-se pelo seu estilo Barroco e tem capacidade para armazenar até 200 mil livros  dos séculos XVI, XVII e XVIII, que representam aquilo que se lia na Europa culta.

Tudo foi pensado para conservar os livros que ali estão religiosamente guardados, como a espessura das paredes, as estantes de madeira de carvalho que afastam os mosquitos e até a colónia de morcegos de estimação que se alimentam dos insetos que porventura possam “atacar” os livros.

Restaurante Refeitro

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Mica Andrade (@micadcandrade)

O Restaurante Refeitro está localizado no Terreiro da Erva e tem feito as delícias de quem o visita. O espaço convida-o a provar pratos tradicionais portugueses e vinhos nacionais.

Mas este restaurante tem uma particularidade, além dos pratos maravilhosos, convida-o a conhecer a arte do fabrico da loiça de Coimbra, pois, neste espaço funciona também uma Olaria que de momento apenas fabrica loiça de Coimbra para o Restaurante.

 

Hotel Oslo Coimbra Logo

Hotel Oslo – Coimbra

Av. Fernão de Magalhães, 25
3000-175 Coimbra, Portugal
Hotel Icone Mapa e Direcções

Tel. +351 239 829 071
Fax. +351 239 820 614
mail@hoteloslo-coimbra.pt
Icon de Contacto Contactos