O seu hotel em Coimbra, localizado no coração da Baixa

Evolução do Covid 19 em Coimbra

Em Dezembro de 2019 surgiam os primeiros casos da doença respiratória Covid-19, causado por um novo Coronavíus, na China. Rapidamente se espalhou pelo mundo, tornou-se numa Pandemia e a 02 de Março de 2020 foi diagnosticado o primeiro caso em Portugal. Depois de vários meses de combate à pandemia, na semana de 8 de Junho a 14 de Junho de 2020, a região de Coimbra registou zero novos casos de infecção.

Os sintomas do Covid-19 (tosse, febre e dificuldade em respirar) são muito semelhantes aos de uma Gripe, podendo evoluir para uma doença grave como pneumonia, falência de órgãos. São as pessoas com mais de 70 anos e/ou com doenças crónicas que podem desenvolver as manifestações mais graves pois têm o sistema imunitário menos capacitado. Contudo, a maior parte das pessoas recupera sem significativos sintomas ou necessitar de cuidados hospitalares. A dificuldade em conter o vírus, uma vez que não existe vacina pois é um vírus muito recente, deve-se também ao facto de ser uma infeção assintomatica o que poderá permitir infetar outras pessoas sem o saber.

Considerando a evolução dramática da doença no mundo e particularmente na Europa, a 18 de Março de 2020 foi decretado o estado de emergência em Portugal. Era prioridade conter a pandemia e salvar vidas. As medidas impostas não foram tão restritivas como em outros países, no entanto foram combinadas com um elevado sentido de responsabilidade dos portugueses que ou cumpriram ou anteciparam a implementação de determinados cuidados. O teletrabalho tornou-se a norma, as pessoas recolherem-se em casa, as ruas ficaram vazias e o silêncio imperava. Diversas áreas de actividade como industrias e construção civil mantiveram-se em operação com cuidados acrescidos.

Em Coimbra, não se esperou que o Governo decretasse o Estado de Emergência e foram tomadas medidas preventivas atempadamente. As aulas presenciais da Universidade de Coimbra foram suspensas a 9 de Março e os estágios de medicina foram suspensos, as visitas a doentes internados também e foram criados espaços separados para doentes de covid-19. O Centro Hospitalar Universitário de Coimbra, que recebe pacientes de toda a região, tirou partido dos seus vários pólos para optimizar a abordagem à Pandemia, foi instalado no Hospital Pediátrico de Coimbra um laboratório dedicado a testes da covid-19, o Hospital dos Covões tornou-se um centro especializado em tratamento de covid-19 e todos os restantes doentes foram transferidos para o Hospital Universitário de Coimbra. O funcionamento do serviço de urgência do Hospital dos Covões foi alargado para as 24 horas. De 10 camas, nos cuidados intensivos, passaram para as 34 e nos HUC ainda existiam de reserva mais 15. Felizmente nunca se ultrapassou dos 10 doentes simultaneamente em cuidados incentivos. Foram criadas 3 tipologias de urgência: doentes ou suspeitas da covid-19 no Hospital dos Covões, doentes com queixas respiratórias (mais propícios a uma infeção covid-19) e para os restantes doentes nos HUC. Entre 12 de Março a 14 de Maio, os hospitais de Coimbra registaram 70 mortes causadas pelo covid 19 entre perto de um milhar de infetados registados; registou 260 internamentos dos quais 24 em cuidados intensivos.

Foi criado também, uma pareceria entre a Administração Regional de Saúde do Centro, a Universidade de Coimbra (através das Faculdades de Medicina e de Farmácia) e a Câmara Municipal de Coimbra , um Centro de Diagnóstico Móvel “drive-through” covid-19, instalado na Praça da Canção de Coimbra, para não criar pressão adicional na zona dos hospitais.

A excelência dos cuidados de saúde da cidade e as estratégias adoptadas atempadamente tiveram, sem dúvida, um impacto positivo na gestão da assistência médica no período da pandemia. Definitivamente o comportamento dos cidadãos também jogou um papel relevante no abrandar da progressão do vírus.

No concelho de Coimbra foram registados 584 casos até 31 de Maio. Na semana de 8 e 14 de Junho de 2020, não foram identificados novos casos de infecção em Coimbra.

Se tiver algum dos sintomas da doença (tosse recorrente e persistente, febre 37,5 graus Celsius ou superior) ao visitar Coimbra, sugerimos que evite o contato com outras pessoas, informe a equipe da recepção e ligue para a linha nacional de saúde SNS24 : 808 24 24 24, que, se necessário, o direcionará para a instituição de saúde mais adequada.

Para ajudar a evitar a propagação do Coronavírus:
• Lave as mãos frequentemente com água e sabão, por pelo menos 20 segundos
• Mantenha distância social
• Etiqueta respiratória (cubra o nariz e a boca ao espirrar e tossir, usando um lenço de papel ou o braço, nunca as mãos; descarte o lenço de papel no lixo)
• Siga os conselhos sobre ficar em casa se tiver sintomas

Dia 3 de Maio, Portugal passou do estado de emergência para o estado de calamidade sendo que as medidas impostas foram progressivamente relaxadas ao longo do mês de Maio e Junho. Mantém-se o princípio confinamento e de distanciamento social para prevenir a evolução do surto.

Partilhamos as atualizações mais recentes sobre o impacto do Covid-19 no dia a dia dos cidadãos e visitantes, para que possamos estar adequadamente informados e retornar, com total segurança, “ao normal”.

Informações atualizadas a 10 de Junho de 2020.

FRONTEIRAS
As fronteiras espanholas estão fechadas desde meados de Março.
Estão previstas as reaberturas das fronteiras com Portugal a partir de 1 de Julho.

TRANSPORTES
Os transportes públicos circulam com lotação máxima de dois terços da sua capacidade e é obrigatório o uso de máscaras ou viseiras. Multas variam entre os 120€ e os 350€.
A CP- Comboios de Portugal repôs o horário integral dos comboios urbanos de Lisboa, Porto e Coimbra, bem como dos serviços Regionais e Interregionais.
Em Coimbra, a oferta de autocarros dos SMTUC foi reforçada em cerca de 70%.

PRAIAS
Distanciamento físico de 1,5 metros e afastamento de 3 metros entre chapéus de sol.
As amplas praias da região têm capacidade para 51.200 pessoas. Na Figueira da Foz, praia Alto do Viso, 8.700 usuários, praia de Buarcos 8.600, praia do Relógio 6.400, praia do Cabedelo 4.100 a 5.100, Quiaios 7.200 e Murtinheira 3.500 pessoas. Mira 11.200 pessoas e Tocha até 8.000 pessoas.
Toldos, Colmos e Barracas só podem ser alugados de manhã (até as 13:30) ou de tarde (a partir das 14:00) e com um limite máximo de 5 pessoas.
Estão interditas atividades desportivas com duas ou mais pessoas, à excepção de atividades náuticas e aulas de surf.
Implementada Sinalética tipo semáforo: cor verde indica ocupação baixa (1/3), cor amarela indica ocupação elevada (2/3) e vermelha ocupação plena (3/3).
É recomendável usar o aplicativo Infopraia (Google ou Apple) para obter informações sobre a capacidade das praias.
É permitida a venda ambulante nas praias, respeitando as regras e orientações de higiene e segurança.
Interdito o estacionamento fora dos parques e zonas de estacionamento licenciados para o efeito.

ESPAÇOS VERDES
Distanciamento físico de 2 metros entre pessoas.
Evitar ajuntamentos com mais de 10 pessoas.
Não é permitida a utilização de parques infantis e bebedouros.

HÓTEIS E TURISMO
A autoridade nacional de turismo de Portugal, Turismo de Portugal, criou um selo de certificação de higiene para identificar as empresas de turismo “Limpas e seguras”.
O carimbo significa que as empresas cumprem os requisitos de higiene e limpeza para a prevenção e controle do Covid-19.
É com satisfação que o Hotel Oslo Coimbra cumpre os requisitos do selo.

ESPAÇOS MUSEOLÓGICOS
É obrigatório o uso de máscaras, higienização de mãos e de espaços.
Limitação de uma pessoa por cada 20 metros quadrados.
Estimativa prévia de duração das visitas.
Circuitos estão sinalizados.
Os objetos em exibição devem ser limpos apenas por conservadores ou profissionais da Coleção.

RESTAURANTES
A Capacidade foi reduzida para 50% e é obrigatório manter uma distância de 2 metros entre as pessoas, à exceção das que moram juntas.
Como alternativa, uma distância de 1,5 metros entre as pessoas e a colocação de barreiras de acrílico
Privilegiar a utilização de espaços como esplanada e serviços como TAKE AWAY.
Uso obrigatório de máscaras por parte dos funcionários e higienização de mãos entre clientes.
Os pratos, copos e talheres devem ser colocados na presença dos clientes.
Incentivar e promover as reservas.
Medidas de higiene reforçadas em todo o estabelecimento.
Evitar meios de pagamento que impliquem contacto físico.

CONDIÇÕES HOSPITALARES Coimbra
Foi instalado no Hospital Pediátrico de Coimbra um laboratório dedicado a testes da covid-19.
Centro de Diagnóstico Móvel Covid-19 na Praça da Canção.
O Hospital dos Covões tem o seu bloco central transformado para tratamento da covid-19.
Urgências 24 horas por dia.
Linha SNS24 808 24 24 24 para orientação do paciente.

Hotel Oslo Coimbra Logo

Hotel Oslo – Coimbra

Av. Fernão de Magalhães, 25
3000-175 Coimbra, Portugal
Hotel Icone Mapa e Direcções

Tel. +351 239 829 071
Fax. +351 239 820 614
mail@hoteloslo-coimbra.pt
Icon de Contacto Contactos